Candidatura à UNESCO

 
CANDIDATURA À UNESCO - PROGRAMA MaB
 
O Agrupamento Europeu de Cooperação Territorial ZASNET (ZASNET – AECT) promoveu uma candidatura conjunta ao Programa MaB (Man and Biosphere) da UNESCO para propor a área territorial do ZASNET como Reserva de Biosfera, Zamora, Salamanca e Nordeste Trasmontano, projeto cofinanciado pelo POCTEP (Programa Operacional de Cooperação Transfronteiriça Espanha-Portugal) denominado “Biosfera Transfronteiriça”.
 
A Reserva da Biosfera Transfronteiriça Meseta Ibérica é constituída por quatro parques naturais:

  • Parque Natural de Montesinho;
  • Parque Natural Lago de Sanabria y Alrededores;
  • Parque Natural do Douro Internacional;
  • Parque Natural de los Arribes del Duero;

 
….e diversos espaços REDE NATURA ( Espaço Natural Sierra de la Culebra, Paisagem Protegida da Albufeira do Azibo …)
 
A candidatura apresentou uma proposta moderna de uma região-piloto para o desenvolvimento sustentável, com ações focadas na adaptação às alterações climáticas e conservação da biodiversidade, tirando partido das suas características naturais e socioeconómicas, das iniciativas pré-existentes e das tendências fortes do tempo que vivemos à escala nacional, ibérica, europeia e global.

Esta distinção foi atribuida a 09 de junho de 2015, durante a 27ª Sessão do Conselho Internacional de Coordenação da Programa Científico “O Homem e a Biosfera” (Man and Biosphere) – MAB da Organização das Nações Unidas para a Educação, Ciência e Cultura (UNESCO).
A RESERVA DA BIOSFERA TRANSFRONTEIRIÇA MESETA IBÉRICA é um selo de excelência, atribuída pela UNESCO, a um território onde a simbiose entre o Homem e a Biosfera é plena, isto é, a plenitude de um espaço com potencialidades de desenvolvimento socioeconómico sustentável.
Com esta designação pretende-se potenciar o turismo, aliando a marca UNESCO à conservação da Natureza, aos produtos regionais certificados e à criação de novas oportunidades de emprego.

A Meseta Ibérica é a 15ª Reserva da Biosfera Transfronteiriça no mundo e a segunda em Portugal.
A preparação e conclusão do processo de candidatura contabilizou quatro anos de intenso trabalho - pois os critérios e requisitos impostos pela UNESCO são muito exigentes, daí existirem apenas em 120 países – no entanto só a partir desta aprovação começa um trabalho efetivo.
O Nordeste Transmontano está efetivamente ligado às províncias de Zamora e de Salamanca, neste que é um território sem fronteiras naturais e agora sem fronteiras no que respeita ao desenvolvimento, num processo de gerações e de trabalho em rede que irá potenciar muitas parcerias e criar sinergias vitais para o desenvolvimento sustentável desta vasta região.