Projectos estratégicos para desenvolver os dois lados da fronteira

A inovação, o empreendedorismo e os produtos tradicionais são as principais áreas que fazem parte do Plano Estratégico de Cooperação e Desenvolvimento Territorial para 2014-2020.
Ontem os municípios do distrito e da vizinha Espanha que integram o Agrupamento Europeu de Cooperação Territorial – ZASNET reuniram em Bragança, para debater as prioridades de acção para os próximos seis anos.O presidente do ZASNET, Jorge Nunes, diz que para já ainda é prematuro falar em projectos concretos, mas sublinha que o plano de acção vai ver elaborado tendo em conta as prioridades ao nível da cooperação transfronteiriça.“Vamos centrar-nos muito na área da Economia, da Inovação, do Empreendedorismo, nos produtos tradicionais, que são recursos do nosso território, a Energia. Há projectos imateriais obrigatórios num quadro de cooperação transfronteiriça na área do ambiente, turismo, serviços. Há um campo muito vasto, os projectos serão muitos, vão ter que ser hierarquizados, estamos a entrar agora na fase em que os parceiros procederão à listagem dos projectos que lhes parecem relevantes num quadro de cooperação transfronteiriça”, salienta o autarca. Há projectos que já estão em curso que também vão ser integrados neste plano, como é o caso do Parque de Ciência e Tecnologia de Trás-os-Montes e Alto Douro.“Há projectos dos dois lados da fronteira que estão agora a ser desenvolvidos que vão ter obrigatoriamente que beneficiar de fundos comunitários para se consolidarem. O parque Ciência e Tecnologia está numa primeira fase e precisa de novos apoios. Do lado de Espanha há projectos similares que também precisam de apoio. Projectos que têm que ser enquadrados no âmbito de uma estratégia comum, esse é o objectivo”, enfatiza Jorge Nunes. 
Os municípios portugueses e espanhóis unidos na elaboração de candidaturas transfronteiriças para apresentar no âmbito do próximo quadro comunitário de apoio.
 
Fonte: Radio Brigantia